CAOS 2019: Despatologização e inserção social de pessoas “trans” é tema de minicurso

Para o minicurso, Lucrécia falou um pouco sobre sua experiência como mulher transexual, relatando suas dificuldades com o mercado de trabalho e outros dispositivos sociais.

No dia 21 de maio, ocorreu na sala 221 do CEULP o minicurso Despatologização e inserção social de pessoas “trans”, ministrado por Lucrécia Alves Barbosa, licenciada em Geografia e especialista em Psicopedagogia Educacional. O minicurso, dentre outros oito, fez parte da programação da quarta edição do Congresso Acadêmico de Saberes em Psicologia (CAOS).

Para o minicurso, Lucrécia falou um pouco sobre sua experiência como mulher transexual, relatando suas dificuldades com o mercado de trabalho e outros dispositivos sociais. Segundo ela, “a pessoa trans tem acesso a tudo, mas não tem permanência, pois tudo é moldado para as pessoas cisgênero”.

Fonte: Acervo Pessoal

Lucrécia também apresentou sobre o conceito de gênero, a sigla LGBTQIAP +, feminismo, o boneco do gênero, que identifica o que é identidade de gênero, orientação sexual, sexo biológico e expressão de gênero e sobre transexualidade e sua despatologização, que é a retirada de sua característica como doença.

Por fim, Lucrécia propôs uma atividade para os participantes do minicurso, que consistiu em dividi-los em grupos e montarem a apresentação de um texto que ela disponibilizou, sobre uma pesquisa realizada com psicólogos de várias abordagens, no intuito de compreender suas opiniões sobre a despatologização da transexualidade. Todos apresentaram e deram um feedback positivo sobre o minicurso.

Psicóloga em formação no Centro Universitário Luterano de Palmas - CEULP/ULBRA e estagiária no Portal (En)Cena