A importância da análise da obra “Relacionamentos Destrutivos- Se ele é tão bom assim, por que me sinto tão mal?”

E foram felizes para sempre…  Essa frase curta e cheia de emoção foi o roteiro de muitas mulheres que cresceram com as narrativas vendidas pela indústria cinematográfica de Hollywood.  Quem nunca suspirou com o filme Uma linda mulher, interpretada pela talentosa Julia Roberts, que fez um papel de garota de programa, até encontrar com o seu salvador e grande amor, Edward Lewis, personagem vivido pelo galã Richard Gere. Muitas mulheres cresceram com esse enredo, ao acreditar que depois de tanto sofrimento, será recompensada com um relacionamento cheio de amor. 

Foi nesse contexto que muitas acreditaram no sonho do príncipe encantado, sujeitaram-se a vivenciar relacionamentos tóxicos, abusivos, acreditando que não encontrariam outra pessoa melhor. E para quebrar esse paradigma e resgatar a autoestima feminina, a escritora Avery Neal publicou a obra intitulada “Relacionamentos Destrutivos- Se ele é tão bom assim, por que me sinto tão mal?” (2018), no intuito de alertar o público feminino sobre os perigos e traumas de relacionar-se com pessoas manipuladoras. 

Identificar situações de manipulação, reconhecer sinais de alerta sobre relacionamentos abusivos, bem como não entrar mais em uma relação desse tipo são algumas das abordagens do livro que pretende ajudar a trilhar um caminho feliz e saudável.  A ideia da escritora é despertar a autoestima, bem como salvar vidas, haja vista que muitas mulheres são vítimas de violência doméstica. O Brasil está entre os países que mais matam mulheres, pelo crime de feminicídio, ódio e desprezo à figura feminina. 

Fonte: Freepick

Os homens também passam por relacionamentos abusivos, mas as mulheres são as maiores vítimas. Somente no ano de 2020 foram feitas mais de 100 mil denúncias de violência doméstica contra a mulher, pela Ouvidoria Nacional dos Direitos Humanos, pelo número 180.  “Os padrões de qualquer tipo de abuso são semelhantes. Nunca vi um relacionamento fisicamente abusivo que também não o fosse verbal, emocional e psicologicamente” (Neal, 2018).

Neal (2018) aponta que pelo fato do homem ser fisicamente maior e mais forte que as mulheres, estabelece uma diferenciação de poder, “e as mulheres muitas vezes se sentem intimidadas em algum nível, mesmo que de maneira inconsciente.” Esse posicionamento explica porque as mulheres são vítimas de violência doméstica, e bem como os números são altos no Brasil.

Neal (2018) esclarece que existem diferentes tipos de abuso. “O abuso normalmente tende a acontecer de forma sutil e gradual, o que muitas vezes impossibilita a vítima em notar o comportamento abusivo do parceiro” (Neal, 2018). Por isso, a importância da construção de uma base solidificada de amor-próprio e uma alta estima saudável para pôr fim a esse ciclo abusivo.  Por fim, “um relacionamento saudável é aquele que cura, é aquele em que os parceiros se respeitam, se amam, se apoiam e se encorajam” (Lauriano, 2020).

Fonte: Freepick

Referências

Lauriano, Paola. Entre os relacionamentos saudável e abusivo: e “corte de névoa e fúria” de Sarah j. Maas(2020) Disponível em < https://repositorio.animaeducacao.com.br/bitstream/ANIMA/16258/1/TCC-Letras-2020-Paola-Lauriano.pdf

NEAL, A.  Relações destrutivas: se ele é tão bom assim, por que eu me sinto tão mal? São Paulo, Editora Gente, 2018.

Revista Conexão e Literatura. Relacionamentos. Artigo sobre o livro Relacionamentos  Destrutivos- Se ele é tão bom assim, por que me sinto tão mal?”  Disponível em < http://www.revistaconexaoliteratura.com.br/2018/04/livro-relacoes-destrutivas-se-ele-e-tao.html>. Acesso: 29, de out, de 2021.