Queda Livre: qual a sua nota?

O primeiro episódio da terceira temporada de Black Mirror, chamado de Queda Livre (Nosedive) foi dirigido por Joe Wright, o roteiro foi produzido por Rashida Jones, Michael Schur, Charlie Brooker, possui duração aproximada de 57min. O episódio aborda a avaliação online por meio de um aplicativo que classifica as pessoas com notas, tais notas são atribuídas de acordo com as avaliações recebidas ao longo do dia e em todas as esferas sociais.

O tema central corresponde com o período que vivemos atualmente, onde a vida online recebe hipervalorização trazendo em contrapartida toda essa engenhosidade de números e olhares, onde quanto mais números, mais visibilidade. De acordo com Maria Rita Kehl (2004), na sociedade que estamos inseridos, o que determina a existência do homem é a sua imagem, e ao decorrer do processo sócio-histórico onde por meio da globalização a imagem se tornou um componente indispensável, o homem se tornou um ser de aparências, e somente através da visibilidade é que a existência do indivíduo é legitimada.

A personagem central se chama Lacie (Bryce Dallas Howard), uma usuária que leva o aplicativo de avaliação muito a sério e empenha-se ao máximo para conseguir aumentar sua pontuação. Lacie está tão submersa no universo do aplicativo, que chega ao ponto de ensaiar sorrisos e falas na frente do espelho com a finalidade de aumentar sua simpatia, e por meio disto, alcançar avaliações mais altas.

Fonte: goo.gl/9BMpbW

Para Sartre,”o homem se reconhece a partir de como o outro o enxerga” (SARTRE, 2003, p. 276), a citação de Sartre pode ser elada diretamente com o esforço de Lacie ao decorrer do episódio inteiro para ser reconhecida, para ter sua existência validada. Ela começa o dia distribuindo sorrisos e derramando gentileza a todos que cruzam seu caminho, avaliando um a um e sendo avaliada por cada um deles, até mesmo o café da manhã de Lacie é registrado e legendado de forma apetitosa e positiva, em contrapeso a mesma detestou o sabor do produto, recusando-se a comer.

Na empresa onde ela trabalha, ocorre um fato interessante onde um funcionário rompeu com seu par romântico e todos os colegas ficaram do lado do seu ex-parceiro, Lacie não sabia do rompimento e esbanjou sua simpatia ensaiada a Chester, mas logo foi repreendida por outro colega de trabalho ao ser alertada que eles estavam do lado do outro e que a pontuação do Chester estava caindo desesperadamente, já se encontrando em 3,1, o que é considerado inferior para os usuários. Ela se recompôs ligeiramente e afastou-se de Chester, evitando inclusive contato visual para que sua imagem não fosse associada a dele, evitando assim o risco de ser avaliada de maneira negativa.

Debord (1998) dividiu a sociedade em duas fases distintas, tal que: na primeira fase, para Ser é necessário Ter, e na segunda fase, é preciso Ter para Parecer. Trata-se então de uma forma de dominação da economia capitalista predominante. Traduzindo para a nossa realidade midiática, onde a mídia é a soma dos poderes políticos e econômicos, que acaba por ordenar e ditar o que deve ser feito e a maneira como deve ser feito, classificando assim o que for destoante como antiquado, primitivo e descartável.

Fonte: goo.gl/PB182w

Lacie faz uso de um objeto de sua infância para manipular a reação das pessoas e a partir disso, obter maiores pontuações. Ela fotografa um urso da sua infância juntamente com palavras saudosas sobre uma amiga de infância que atualmente encontra-se no alto escalão do aplicativo, possuindo a nota 4,8. Naomie (Alice Eve), é a amiga marcada na publicação de Lacie que rapidamente responde e faz um convite inusitado a ela, o convite só acontece após Naomie fazer uma avaliação prévia do perfil de Lacie, verificando sua pontuação 4,2.

Naomie a convida para a festa de seu casamento com Paul (Alan Ritchson) que também possui a pontuação 4,8, e Lacie vê nessa cerimônia de casamento a oportunidade ideal para ser avaliada por pessoas que fazem parte do topo do ranking das melhores notas, visto que de acordo com a nota do seu avaliador, a nota atribuída por ele possui maior valor e maior peso. Lacie estava sendo acompanhada por um profissional que orienta usuários do programa a como obter maiores pontuações, e ele vê uma oportunidade de enorme de crescimento para Lacie nesta festa. Ela então passa a dedicar-se a produzir seu discurso, forjar lágrimas e comportamentos que mobilizarão os convidados durante sua performance. Vale lembrar que ela está ainda mais desesperada por pontos por precisar comprar um apartamento novo, e o apartamento desejado só pode ser obtido por clientes que ocupem posições elevadas no ranking.

Ela se dedica incessantemente a ensaiar e a criar uma performance impecável que possa levá-la ao nível almejado, passando a ignorar pessoas com notas baixas, inclusive seu ex-colega de trabalho que foi demitido por estar com a pontuação 2,8. Lacie exala ternura e apreço por tudo e todos que a cercam, tornando sua vida uma eterna performance onde ela reprime sentimentos e reações de cunho negativo para que não seja punida com notas baixas.

Fonte: goo.gl/UQ2Lb3

Ao deslocar-se para o casamento, acontecem inúmeros imprevistos onde ela recebe sua primeira avaliação negativa do próprio irmão, que condena sua atitude fajuta e mercenária de querer aproveitar-se da situação apenas para obter status, ele a avalia negativamente, e a partir daí as coisas começam a correr de outra forma.
Lacie perde o voo, é punida por passageiros na fila que discordam do comportamento grosseiro dela junto a atendente, é punida pelo guarda recebendo punição dobrada para avaliações negativas, resolvendo então ir de carro. Entretanto o mesmo descarrega no meio do caminho, e ela não consegue encontrar um carregador adaptado por causa do modelo de carro antigo que ela pôde alugar com sua pontuação baixa.

Lacie fica desolada, anda pelas ruas arrastando sua mala e não recebe carona por estar com uma nota extremamente baixa, porém recebe ajuda de uma caminhoneira chamada Driver (Cherry Jones), que após perder seu esposo por falta de tratamento por causa da sua pontuação insuficiente, passou a ignorar o aplicativo e a viver de forma livre, sem seguir nenhum script ou performar algo contrário ao que ela de fato desejava expressar.

No início, Lacie recusa a carona ao ver que Driver possui uma pontuação extremamente baixa, mas logo se convence e entra no caminhão, pois precisa chegar a tempo ao casamento. Após muitos imprevistos e sufocos, ela finalmente chega com os trajes sujos e rasgados, e entra pelos fundos, pois Naomi havia desconvidado-a após verificar que sua nota caiu.

Fonte: goo.gl/fZe19G

Lacie rouba o microfone e faz seu discurso que foi repetidamente ensaiado enquanto foge dos seguranças do local, Naomi sente-se constrangida, mas mantém seu semblante simpático e sua performance feliz, enquanto Paul tenta tirar Lacie a força. Nos minutos finais, ela é presa e ao chegar à prisão tem sua lente digital do aplicativo retirada e seu celular retirado, e como diz Calligaris (2007), “a invisibilidade é mais intolerável do que a prisão”.

REFERÊNCIAS:

Adoro Cinema; Black Mirror. Disponível em: <http://www.adorocinema.com/series/serie-10855/temporada-27038/elenco/episode-559695/#Screenplay> Acesso em: 01/09/2017 de junho de 2017

BAUDRILLARD, J. A sociedade de consumo. Rio de Janeiro, Elfos, 1995.

CALLIGARIS,C. Fama e narcisismo. Publicado em 15/3/2007.<www.verdestrigos.org/sitenovo/…/cronica_ver.asp?> Acesso em 31/08/2017

DEBORD, G.: A Sociedade do Espetáculo. Comentários sobre a sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1998.

KEHL, M. R. : Visibilidade e espetáculo. In: BUCCI, E. –Videologias: ensaios sobre televisão. São Paulo, 2004

SARTRE, Jean-Paul. Sursis. São Paulo: Nova Fronteira, 2003.

Ritaline Silva
Acadêmica de psicologia no CEULP/ULBRA e estagiária voluntária do portal (En)Cena.