Dialética e TFC ajudam mulheres gestantes no mercado de trabalho

Na contemporaneidade, a discriminação contra profissionais gestantes é um tema recorrente, pois muitas são desrespeitadas a partir do momento em que engravidam. Cabe lembrar que, apesar da lei impedir que profissionais gestantes com Registro na Carteira de Trabalho sejam demitidas sem justa causa, a realidade perdura, fazendo com que muitas mulheres sejam humilhadas diariamente e submetidas a níveis de estresse muito altos, além de serem vítimas de assédio moral.

Assim, esse cenário na vida da mulher nos papéis de mãe e trabalhadora pode gerar desequilíbrio emocional, decorrente do quadro de que a maternidade é vista como uma variável agravante, fazendo com que os gestores cometam comportamentos violentos, tais como: retirar a autonomia da trabalhadora gestante ou contestar, a todo momento, suas decisões; vigilância excessiva seguida de manipulação de informações; isolar fisicamente o trabalhador e presumir que a carga horária da mulher deve ser reduzida apenas por conta da gestação.

O que é Dinâmica de grupo?

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dinâmica de Grupo (2006, p. 1), “dynamis é uma palavra de origem grega que significa força, energia, ação”. E, Segundo Tatiana Wernikoff, (Instituto de Psicologia Organizacional) “Qualquer situação em que você reúne pessoas para uma atividade conjunta, com um objetivo específico, caracteriza uma dinâmica”.

Em um artigo publicado em 1944 por Kurt Lewin, Dinâmica de Grupo é o “estudo das forças que agem no seio dos grupos, suas origens, consequências e condições modificadoras do comportamento do grupo”.

A Dinâmica de Grupo consiste em permitir que os indivíduos participantes desenvolvam suas habilidades e se tornem mais competentes por meio do que já sabem, atingindo quatro dimensões muito importantes: social, interpessoal, pessoal e profissional.

Os exercícios de dinâmicas de grupo são frequentemente utilizados para melhorar o relacionamento entre os diferentes elementos de um mesmo grupo, promovendo a autenticidade nas pessoas, além de permitir que os indivíduos lidem com opiniões e atitudes divergentes, promovendo o crescimento pessoal.

Fonte: encurtador.com.br/fiszO

 

O que é Dialética?

A Dialética é um método de diálogo que se concentra na contradição e oposição de opiniões, um jogo de ideias que se contradizem porque são diferentes umas das outras, podendo gerar novas ideias. A Dialética pode ser o debate ou a arte da persuasão, estando intimamente relacionada à retórica.

Jung define a Dialética como simplesmente uma discussão entre duas ou mais pessoas, que logo resulta em duas definições igualmente concisas, um método de construir novas sínteses.

O que é Terapia Focada na Compaixão?

A Terapia Focada na Compaixão (TFC) tem como objetivo ajudar as pessoas a acessar e estimular suas motivações, emoções e competências de autocompaixão. É uma terapia que integra conceitos do budismo, da psicologia evolucionista e das neurociências.

De acordo com Paul Gilbert (2009), a terapia centrada na compaixão decorre da percepção de que os pacientes se tratam com muita severidade, cheios de críticas, hostilidade, raiva e desprezo. Nesse sentido, um dos principais objetivos é que os pacientes desenvolvam uma atitude mais compassiva em relação a si mesmas, desenvolvendo assim a autocompaixão, onde o paciente permite se aceitar, diminuindo as cobranças e a autocrítica.

Fonte: encurtador.com.br/jwUV4

Cabe lembrar, ainda, a diferença entre autocrítica severa e autocorreção compassiva, visto que a autocrítica se refere a uma forma de autojulgamento e auto avaliação negativos, que podem ser direcionados a diversos aspectos do self, como a aparência física, as emoções, os comportamentos, os pensamentos, a personalidade e os atributos intelectuais. Ao contrário da autocrítica, considera-se que a autocompaixão é uma resposta alternativa mais adaptativa à falha percebida. Na autocrítica severa os indivíduos funcionam como seus próprios inimigos, se auto agredindo e punindo de forma constante diante de falhas, remoendo e cultivando sentimentos de raiva, arrependimento e culpa. Já na autocorreção compassiva, o objetivo é procurar compreender que é possível aprender com os erros, que faz parte da natureza humana errar e sofrer, é parte natural da vida. Com uma atitude de aceitação e acolhimento se torna possível evoluir, aprendendo com os erros e situações adversas da vida.

”O sofrimento faz parte da vida. Que eu seja gentil comigo mesma neste momento. Que eu possa dar a mim mesma a compaixão de que preciso.”- Neff; Kristin.

Sendo assim, percebe-se que, com o uso regular das práticas supracitadas, será possível que as gestantes atinjam maior compreensão acerca da sua realidade e conquistem melhor qualidade de vida.

 

Referências bibliográficas

AFONSO, MARIA LUCIA MIRANDA. Oficinas Em Dinâmica de Grupo: Um Método de intervenção psicossocial. Casa do Psicólogo, 2007.

ANDRADE, Suely Gregori. Teoria E Pratica de Dinâmica de Grupo: Jogos E. Casa do Psicólogo, 1999.

CABRAL, João Francisco Pereira. “Dialética”; Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/filosofia/dialetica.htm Acesso em 07/06/2022.

COSENZA. BRUNA. Maternidade e trabalho: o preconceito com as mães no mercado. 07 de maio de 2021. Disponível em https://www.vittude.com/empresas/maternidade-e-trabalho-como-combater-o-preconceito/#:~:text=Quando%20o%20assunto%20%C3%A9%20ma acesso em 07/06/2022

GARCIA. C. F, VIECILI. J. Implicações do retorno ao trabalho após licença-maternidade na rotina e no trabalho da mulher. Fractal, Rev. Psicol. 30 (2) • Ago 2018 https://www.scielo.br/j/fractal/a/4zVSP8j3SKn9Rf9TtNvzWzn/? Acesso em 07/06/2022

LARA. C. A importância do apoio psicológico no pré-natal. Disponível em https://leiturinha.com.br/blog/apoio-psicologico-no-pre-natal/#:~:text=Para%20al%C3%A9m%20dos%20inc%C3%B4modos%20naturais,sombra%20de%20d%C3%BAvidas%2C%20acompanhamento%20psicol%C3%B3gico. Acesso 07/06/2022

LUZ, G. A. R. A EVOLUÇÃO DA MULHER NO MERCADO DE TRABALHO. Disponível em https://monografias.brasilescola.uol.com.br/direito/a-evolucao-mulher-no-mercado-trabalho.htm#:~:text=De%20acordo%20com%20o%20artigo,homens acesso em 07/06/2022

Maternidade e trabalho: como as empresas podem ajudar nesse desafio? (Autor desconhecido.) 05 de julho de 2021. Disponíveis em https://paraempresas.catho.com.br/maternidade-e-trabalho/ aceso em 07/06/2022

PASQUALINI, Juliana C.; MARTINS, Fernando Ramalho e EUZEBIOS FILHO, Antonio. A “Dinâmica de Grupo” de Kurt Lewin: proposições, contexto e crítica. Estud. psicol. (Natal) [online]. 2021, vol.26, n.2, pp. 161-173. ISSN 1413-294X.  http://dx.doi.org/10.22491/1678-4669.20210016. Acesso em 07/06/2022

PENIDO. M. A. Terapia Focada na Compaixão – Esclarecendo dúvidas com a professora Maria Amélia Penido. 28 de janeiro de 2021. Disponível em https://www.focotcc.com/post/terapia-focada-na-compaix%C3%A3o-esclarecendo-d%C3%BAvidas-com-a-professora-maria-am%C3%A9lia-penido#:~:text=A%20Terapia%20Focada%20na%20Compaix%C3%A3o%20tem%20por%20objetivo%20ajudar%20as,de%20voz%20e%20outros%20exerc%C3%ADcios. Acesso em 07/06/2022

PORFIRIO. F. Dialética. Disponível em https://mundoeducacao.uol.com.br/filosofia/dialetica.htm. Acesso em 07/06/2022

RÓS. L, OLIVEIRA. M. Maternidade. 05 de abril de 2018. Disponível em: https://www.uol.com.br/universa/noticias/redacao/2018/04/05/elas-foram-perseguidas-e-assediadas-no-trabalho-ao-anunciarem-a-gravidez.htm acesso em 07/06/2022

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DINÂMICAS DE GRUPO (SBDG). Dinâmica de grupo: conhecendo a história da dinâmica dos grupos no Brasil. Blumenau: SBDG, 2006.

SOUZA. F. O que é a Terapia da Compaixão? Paul Gilbert. Disponível em https://www.psicologiamsn.com/2015/12/o-que-e-a-terapia-da-compaixao-paul-gilbert.html acesso 07/06/2022

Autores:

Bruna Teixeira Rabelo

Clara Eliza Ata Nepomoceno

Gabriella Gonçalves de Oliveira

Larissa Rosa de Oliveira Izac