Vivência pós-depressão: de frente com meu 3º relato publicado no (En)Cena

A Depressão é caracterizada pelo Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais – DSM – V (2014), por uma tristeza persistente consideravelmente grave, na qual interfere no desempenho ou interesse na execução das atividades diárias. Não se sabe como se origina o transtorno, podendo ser hereditário, alterações nos níveis de neurotransmissores, alteração da função neuroendócrina e fatores psicossociais.
Para Viktor Frankl (1984), a Depressão nada mais é que um vazio existencial em busca de sentido. Sobre isso, ele nos exemplifica:
“Pensemos, por exemplo, na “neurose dominical”, aquela espécie de depressão que acomete pessoas que se dão conta da falta de conteúdo de suas vidas quando passa o corre-corre da semana atarefada e o vazio dentro delas se torna manifesto. Não são poucos os casos de suicídio que podem ser atribuídos a este vazio existencial. Fenômenos tão difundidos como depressão, agressão e vício não podem ser entendidos se não reconhecermos o vazio existencial subjacente a eles. O mesmo é válido também para crises de aposentados e idosos (p. 73).
A partir da frase de Viktor Frankl: “As pessoas têm o suficiente com o que viver, mas não têm nada por que viver; têm os meios, mas não têm o sentido” (1984), veremos um texto de autoria minha, publicado em 2018, no ENCENA, em processo de depressão.

 

Fonte: encurtador.com.br/mNST8

Descanso é o que preciso
Caros colegas, amigos considerados e familiares, escrevo esta carta para pedir socorro. Tenho andado distante de todos. Não posto mais tantas fotos nas redes sociais, não os respondo como a mesma frequência no app. Podem pensar que estou ocupada com a faculdade, com o trabalho, mas na verdade minha mente anda ocupada pensando em como poderia “descansar” para sempre. Meu corpo está cansado, minha mente sente dores, não consigo mais produzir energia para fingir que estou vivendo, sendo que meu SER EXISTENCIAL morreu e apenas o meu corpo vagueia pelas ruas desse mundo fake.
Tenho andado sem rumo buscando um norte, um sul, um lugar, um acolhimento, um qualquer. A dor vai corroendo minha alma deixando apenas o meu físico. Os baques do dia a dia vão torturando minha alma que grita, suplica por minha misericórdia. Descanso é o que preciso, alívio é o sentimento buscado.
Se alguém estiver se perguntando o que poderiam fazer por mim, digo-lhes que não sei, mas peço que não desistam de mim, não desistam de resgatar aquela pessoa que tantos me definem por aí. Não desistam sobretudo de acreditar que poderei voltar a ser a pessoa que um dia conhecera, ou que acreditam ter conhecido.
Hoje não tenho muitas coisas para pedir além do que já pedi, nem a vocês muito menos a Deus. Falando em Deus, aqueles que acreditam que seja a falta de religiosidade, fé estão tão enganados quanto aqueles que entram no curso de psicologia para fazer terapia. Rs! Minha fé é o que tem me sustentado até aqui. Outros irão dizer que tenho que sair mais, conversar com os amigos, ocupar a mente. Pessoas, minha mente está bem preenchida, ela calcula a distância de um carro até mim. Quantos comprimidos fazem dormir. Quais os impactos de uma queda. Então, obrigada.

 

Fonte: encurtador.com.br/dlAE7

Procurar terapia seria a indicação correta. Os impasses são outros. Caso alguém diga que poderei superar essa sem ajuda de um profissional estará trazendo mais crises para minha vida, pois é desacreditar na profissão que escolhi.
Quero viver, uma parte de mim quer muito viver, mas estou tão cansada de tantas dores, que amigos, todos os dias é uma luta cruel comigo mesma. Declaro que está aberta o “salve-me quem puder”. Compreendam que estou doente, e como todo doente, preciso de remédio, mas não existe remédio melhor que o afeto humano. Quem estiver a fim de brincar de super-herói, já estou passando da hora de ser resgata.
Não reconheço mais meu rosto no espelho. Não reconheço o gosto das minhas lagrimas, cada dia mais amargas. Meu corpo dói. Minha mente lateja. Meu cabelo cai. Meu sorriso não é o mesmo. Minha falta de bom humor incomoda.
Socorro é o que peço.

 

Fonte: encurtador.com.br/iluL6

Aqui acontece o que Viktor Frankl chama de “Noodiâmica”, ou seja, uma dinâmica existencial, sendo um campo polarizado de tensão, onde um polo está representado por um sentido a ser cumprido e o outro polo, pela pessoa que deve cumprir. Para ele, não precisamos viver acreditando que a vida é uma homeostase (estado livre de tensões), e sim, uma busca e uma luta escolhida livremente tornando-se um objetivo que para ele valha a pena. Nisso, podemos nos embasar também em uma frase de Nietzsche: “Quem tem por que viver suporta quase todo como.”
No texto, está claro o estágio em que estava, não havia mais um por que viver para suportar tudo que estava se passando na época. A busca da responsabilidade de sobrevivência era diária, mas infelizmente o vazio existencial preenchia todo o espaço.
Para a Logoterapia existem três caminhos principais para alcançar o sentido da vida, que são:
“O primeiro consiste em criar um trabalho ou fazer uma ação. O segundo está em experimentar algo ou encontrar alguém; em outras palavras, o sentido pode ser encontrado não só no trabalho, mas também no amor. […] o mais importante, no entanto, é o terceiro caminho para o sentido na vida: mesmo uma vítima sem recursos, numa situação sem esperança, enfrentando um destino que não pode mudar, pode erguer-se acima de si mesma, crescer para além de si mesma e, assim, mudar-se a si mesma” (FRANKL, 1984).
Busquei novos caminhos, trabalho novo, casamento, gravidez e durante todo esse processo da gestação, pude notar que estava criando laços com a sobrevivência, agora tinha um “por que viver” e ele se chama Miguel. Nisso, notei mudanças em mim e nas formas de encarar minha trajetória, dando significados e grau de importância que cada uma delas têm na minha vida.

Fonte: encurtador.com.br/sJKQU

Depressão é uma doença que tem tratamento, onde a causa é indefinida. Não tenha receios de buscar ajuda profissional para te ajudar a encontrar o sentido da vida, fazer com que você entenda o seu vazio existencial e o preencha novamente com coisas que te façam bem.
Sua saúde mental é tão importante quanto o seu ginecologista, quanto seu check up anual, não deixe que as tensões diárias invadam seu ser. A Ulbra fornece atendimento psicológico na Clínica de Psicologia da Universidade, serviço totalmente gratuito e você, também pode e deve procurar sua Unidade Básica de Saúde do seu bairro para acolhimento e encaminhamento. Cuide-se!
Lizandra Paz de Oliveira, 28 anos, funcionária pública, estudante do 10° período de psicologia.
Referencias:
FRANKL. V. E. Em Busca de Sentido. Edição Norte Americana – de 1984. Disponível em: < https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/58/o/Em_Busca_de_Sentido_-_Viktor_Frankl.pdf> Acesso em: 16 de maio de 2021.
LII. I. Descanso é o que preciso. EnCena. pub. 28 de abril de 2018. Disponível em: < https://encenasaudemental.com/narrativas/descanso-e-o-que-preciso/> Acesso em: 16 de maio de 2021.
Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais [recurso eletrônico] : DSM-5 / [American Psychiatric Association ; tradução: Maria Inês Corrêa Nascimento … et al.] ; revisão técnica: Aristides Volpato Cordioli … [et al.]. – 5. ed. – Dados eletrônicos. – Porto Alegre : Artmed, 2014. Editado também como livro impresso em 2014. ISBN 978-85-8271-089-0. Disponível em: http://www.niip.com.br/wp-content/uploads/2018/06/Manual-Diagnosico-e-Estatistico-de-Transtornos-Mentais-DSM-5-1-pdf.pdf > Acesso em 16 de maio de 2021.