CAOS 2019: sessão técnica aborda estudo de caso do sofrimento de uma agente penitenciária

Acadêmica apresenta tema de estudo do seu TCC dentro das sessões técnicas do Congresso Acadêmico de Saberes em Psicologia.

Ocorreu na tarde de quinta-feira (23) na sala 2019 do CEULP/ULBRA, a sessão técnica “O sofrimento e a nova morfologia do trabalho: estudo de caso com uma agente penitenciária.” A atividade foi conduzida pela acadêmica do curso de Psicologia da instituição, Geovanna Gomes de Morais, trabalho que contou com a orientação da Profa Me. Thaís Moura Monteiro.

Na introdução da pesquisa, Geovanna identificou a enorme precarização do serviço, a intensificação do trabalho e a aceleração desse processo quando o assunto é sujeito + trabalho. Com isso, percebeu-se também uma falta de estrutura do ambiente de trabalho e a escassez da organização do clima dentro do local de trabalho.

Fonte: Arquivo Pessoal

Através dessas condições insalubres ocorre uma degradação entre sujeito e trabalho, formando um processo adoecedor. A agente penitenciária estudada relatou que a jornada de trabalho que deveria ser de 40 horas semanais, torna-se de 48 horas semanais, e sem acréscimo de salário por hora extra.

Ao final, Geovanna trouxe os principais impactos psíquicos que essas condições causam na vida das mulheres, dentre eles: assédio moral, desigualdade de gênero, acúmulo de sono, precarização de estruturas básicas e acúmulo de afazeres. Tendo isso em vista, mostra-se a necessidade de uma regularização desse serviço e principalmente do local de trabalho para o fim do sofrimento dessas agentes.