você sabe o que é efeito espectador?

No dia 13/10/2021  uma mulher foi estuprada dentro de um trem, na Pensilvânia (EUA). O crime durou cerca de 40 minutos, segundo a polícia, passageiros que estavam no local não prestaram socorro à vítima, nem ligaram para o serviço de emergência. As imagens  da câmera de segurança mostram ainda, que alguns passageiros filmaram a cena. “Posso dizer que as pessoas estavam segurando seus telefones na direção da mulher que estava sendo atacada”, disse Nestel. O ataque só terminou após um funcionário do departamento de polícia da Agência de transporte público entrar na locomotiva. O socorro da vítima foi feito após a ligação de um funcionário do trem para o serviço de urgência.

Qualquer um que estava naquele trem tem que se olhar no espelho e perguntar por que eles não intervieram ou por que não fizeram algo”, disse o superintendente da polícia de Upper Darby, Timothy Bernhardt, à CNN na segunda-feira.

Pode haver uma explicação quanto essa indignação. É pouco provável que você receba ajuda se estiver enfrentando problemas diante de muitas testemunhas, isso se dá devido a um fenômeno psicológico conhecido como síndrome de Genovese. Esse fenômeno pode ser explicado pelo princípio de que os observadores tendem a tomar como certo que outra pessoa vai intervir, de maneira que no fim todos se abstêm de tomar uma atitude.

O nome da síndrome se deu, devido a ocorrência de um crime  em 1964, no qual uma mulher chamada Kitty Genovese foi assassinada em frente ao seu apartamento. Havia aproximadamente 37 testemunhas, ninguém fez nada para socorrê-la. Com o impacto desse acontecimento, a psicologia social tem se esforçado para dar respostas a esse fenômeno. 

fonte:http://encurtador.com.br/hjyB7

tradução pt(br) ” 37 presenciaram o assassinato, nenhum ligou para a polícia”

John Darley e Bibb Latané analisaram o caso minuciosamente e desenvolveram a teoria da difusão de responsabilidade em que alguns pontos podem ser passíveis de explicação, quanto aos espectadores.

  • Os espectadores veem que os outros também não estão ajudando.
  • Os espectadores pensam que sempre haverá alguém mais qualificado do que eles para auxiliar a vítima.
  • Se sentem inseguros ou envergonhados na hora de intervir devido à grande quantidade de pessoas observando.

fonte:http://encurtador.com.br/nCNT3

Podemos refletir o quanto esse fenômeno nos traz a dimensão dos perigos da passividade humana, devemos pensar na apatia social que se instala cada vez mais. A notícia digna de um episódio de black mirror nos mostra a realidade de uma sociedade doente e individualista. Segundo Bauman (2001: p .39) ”O homem moderno nega toda ligação de subordinação com as instituições sociais, abdicando assim as crenças, regras e valores impostas por elas, guiando-se na sua visão pessoal.” Essa negação acarreta na dissociação entre indivíduo e sociedade, onde se evidencia o surgimento concreto do individualismo.  

Bauman também nos traz através da lógica do consumo que as pessoas não são mais analisadas pelo que elas são, mas pelo que elas compram, sendo que essa ideia  também se enquadra nas relações, onde as pessoas passam a comprar por afeto e atenção. Logo o desejo de conexão é por coisas que possam ser acumuladas, no lugar de relações.  Através dessa individualidade e da falta do senso coletivo, teme-se que episódios como esse sejam cada vez mais recorrentes.

Muito além de uma síndrome, diante dessa  notícia, percebemos também uma sociedade passiva a tragédias acarretas a mulheres, juntamente com as altas taxas de feminicídio. De acordo com a revista Vogue (2021), pesquisas evidenciam que 88% das pessoas já tiveram alguma experiência pessoal com assédio; 84% dizem que já participaram como testemunhas; e 86% sentem falta de algum treinamento para lidar com essas situações. Apesar dos números altíssimos, apenas 25% declararam que alguém as ajudou quando foram assediadas.

Baseando-se nesses dados percebemos que a educação, sobre o tema, a informação e a luta pelas melhorias de políticas públicas são ações que podem ser feitas e incentivadas. Com esse intuito a L’Oréal Paris lançou a campanha Stand Up, que oferece dicas  no combate ao assédio. O programa apresenta o método 5d: distrair; delegar,documentar,direcionar e dialogar.

fonte:http://encurtador.com.br/gvwzO

O treinamento pode ser acessado em :https://www.standup-international.com/br/pt/training/landing. Em resumo as formas de intervenção dada pelos treinamento são:

Distrair: No caso de presenciar o início de um assédio, você pode desviar a atenção do que está acontecendo. Exemplo: se aproximar da vítima e dizer que ela deixou cair algo. Fingir que conhece a vítima e chamá-la para conversar em outro lugar. Fingir que o lugar está pegando fogo.

Delegar: conte pra alguém perto sobre o que está acontecendo e pergunte o que você e essa pessoa podem fazer a respeito. Ligue para uma autoridade.

Documentar:  diferente da síndrome relatada , o documentar aqui não é apenas filmar sem uma ação, mas documentar como forma de registrar o crime. A ajuda à vítima é essencial, seja ligando para uma autoridade ou usando outros métodos, alguns já citados aqui. Deixe claro para a vítima sobre as imagens e pergunte o que ela deseja fazer a respeito disso.

Direcionar: Fale diretamente com o assediador de forma incisiva , peça pra ele deixar a vítima em paz, retire a vítima dali, mas não entre em uma discussão. Use o apenas como último recurso para prevenir a violência.

Dialogar: preste socorro à vítima, escutando o que ela tem pra dizer, deixando claro que a culpa não é dela, proporcione a ela um lugar de acolhimento e empatia, incentive ela a ir em busca das autoridades.

Não devemos ser passivos a nenhuma violência precisamos fazer nossa parte como cidadãos, se colocando no lugar da vítima, refletindo que poderia ser um de nós no lugar, ou até mesmo um familiar, uma pessoa querida que seja. Não deixe de denunciar.

Possíveis denúncias de assédio deverão ser encaminhadas à Ouvidoria do Conselho, por meio do Portal ou pelo e-mail ouvidoria@cjf.jus.br.

Ligue 190 – PMDF

Ligue 180 – Central de Atendimento à Mulher

Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos Whatsapp 61 99656-5008 – Canal 24 HORAS

 

REFERÊNCIAS:

 A síndrome de Genovese: a solidão da vítima A mente é maravilhosa , 2020. Disponível em:https://amenteemaravilhosa.com.br/sindrome-de-genovese-solidao-da-vitima/ Acesso em: 15, novembro de 2021.
Carneiro,Libna. Individualismo na modernidade. Meu artigo. Disponível em:https://m.meuartigo.brasilescola.uol.com.br/educacao/individualismo-na-modernidade.htm. Acesso em: 15 de dezembro de 2021.
Mulher é estuprada em trem nos EUA; passageiros não fazem nada. Correio braziliense , 19/10/2021  Disponível em: Acesso em:https://www.correiobraziliense.com.br/mundo/2021/10/4956345-mulher-e-estuprada-em-trem-nos-eua-passageiros-nao-fazem-nada.html acesso em 15 de novembro de 2021
L’Oréal Paris, L’Oréal Paris prepara homens e mulheres para o combate ao Assédio em público através do programa Stand Up. Disponível em:https://www.loreal-paris.com.br/stand-up acesso em 4 de novembro de 2021 
L’Oréal Paris lança a campanha Stand Up, programa que ensina mulheres a combaterem o assédio. VOGUE, Revista online disponível  em:https://vogue.globo.com/amp/Apresenta/noticia/2021/11/loreal-lanca-campanha-standup-programa-que-ensina-mulheres-combaterem-o-assedio.html,  04 de novembro de 2021. Último acesso em 06 de dezembro de 2021.