Psicologia presente em evento da Quavi sobre relacionamentos amorosos

A coordenadora e psicóloga Cristina Filipakis, que também atende como terapeuta de casais, destacou a importância de o casal estar atento tanto às demandas individuais quanto às da dupla. 

O curso de Psicologia do Ceulp/Ulbra, através das disciplinas de Antropologia e Psicologia das Relações Familiares, foi parceiro de uma campanha do Dia dos Namorados promovida pela Quavi, a maior empresa de produtos naturais do Tocantins.

O evento, ocorrido na noite desta quinta-feira, dia 06/06, na sede da Quavi em Palmas, contou com a participação da coordenadora de Psicologia do Ceulp, psicóloga Cristina Filipakis, e da médica Ana Virgínia Gama.

Fonte: Divulgação

Na ocasião, Cristina e Ana abordaram os processos de comunicação nas relações amorosas e conjugais. Baseadas em suas experiências acadêmicas e profissionais, elas relataram uma série de situações em que os relacionamentos podem ser repensados e ressignificados, sobretudo naqueles casos de desgastes ocasionados pelo tempo de convivência.

A coordenadora e psicóloga Cristina Filipakis, que também atende como terapeuta de casais, destacou a importância de o casal estar atento tanto às demandas individuais quanto às da dupla, para na medida de cada um respeitar o princípio da privacidade sem negligenciar a dinâmica dos afetos. “Cada casal deve encontrar a sua medida quanto ao princípio da individualidade dos parceiros, ao mesmo tempo que, também, se investe no contato íntimo. Um casal que é muito grudado pode reverberar em algo tão negativo quanto um casal sem muita intimidade”, pontuou.

Fonte: Divulgação

De acordo com a proprietária da Quavi e acadêmica de Psicologia do Ceulp, Maria Fantine, o evento foi um sucesso, uma vez que possibilitou que clientes da empresa e acadêmicos do Ceulp, além do público em geral, pudessem conversar sobre um tema relevante, que deve ser encarado de modo democrático. “Este encontro foi um grande presente para todos nós”, pontuou.

De modo geral, para os casais que optam por manter o relacionamento mas enfrentam algumas dificuldades, a barreira da comunicação é a principal queixa enfrentada por eles. Nestes casos, um acompanhamento psicoterapêutico é uma das melhores estratégias para que eles consigam encontrar estratégias de enfrentamento dos problemas e ressignifiquem o relacionamento.

Sonielson Luciano de Sousa
Mestre em Comunicação e Sociedade (UFT). Pós-graduado em Docência Universitária, Comunicação e Novas Tecnologias (UNITINS) e Pós-graduando em Psicologia Analítica (UNYLEYA-DF). Bacharel em Comunicação Social (CEULP/ULBRA). Filósofo (Univ. Católica de Brasília), Acadêmico de Psicologia (CEULP/ULBRA), especialista em Jornalismo Cultural, é editor do jornal e site O GIRASSOL, colaborador do Portal Educação e é Coordenador Editorial do Portal (En)Cena.